As Mulheres Atletas Competem E Ganham

por

As Mulheres Atletas Competem E Ganham

vamos Começar pelo começo. Praticar esporte faz bem para a saúde, contudo, como em tudo, a ausência ou o exagero de exercício físico tem consequências na mesma. As do sedentarismo são conhecidas e, por apresentar só outras, diremos que é um factor de traço de diversas doenças, como a diabetes ou as doenças cardiovasculares, principal razão de mortalidade entre as mulheres. Mas, o que ocorre quando teu jeito de vida é o esporte e dedica aproximadamente todo o dia para treinar? Você maternidade, sim ou não?

Existem vários mitos em torno da gravidez que vêm discursar que a gravidez é um suicídio profissional, que alguém imediatamente não vai retornar ao esporte de elite ou pra luta. Em Portugal bem como temos vários exemplos que refutam este mito e que esclarecem que, mesmo após a gravidez são competiu ao mais grande nível. É o caso da imediatamente dita Beatriz Mancha.

“Fui para os jogos olímpicos de Pequim, no momento em que ele prontamente tinha nascido a minha primeira filha. Outro modelo que deita por terra a teoria que temos em uma das pioneiras em Portugal em ser mãe e continuar como atleta de elite, a atleta Nuria Fernández. “Quando eu disse que queria ser mãe várias pessoas ao meu redor me dizia Nuria, sonhe bem, que mesmo após não voltar a ser a mesma, contudo eu tinha muita desejo, muita energia e eu fui contra a corrente. Fui mãe, eu voltei para a elite e consegui minhas maiores conquistas, consegui ser campeã da Europa, aos trinta e três anos”.

Se eu tivesse que expressar dos ingredientes da fórmula do sucesso para conciliar a maternidade com o esporte de grande rendimento Fernández é clara, a mulher tem uma força descomunal. Se precisam de muita vontade, muita motivação e uma coisa que te encha-o em tal grau como ela o faz o atletismo. “Com forças e desejo nós desejamos fazer coisas incríveis”.

A campeã reitera que ter que escolher entre a maternidade ou a luta é muito árduo. “Nós somos as exceções, o normal é esperar pelo término de sua carreira esportiva pra ser mãe imediatamente retirada. Meu filho me acompanhou pra todo o lado desde que nasceu, porque eu tenho a sorte de que meu marido podes me acompanhar, entretanto em novas ocorrências, para uma mulher seria inviável”, apostila.

  • Um Ritmo da música 1.1 Antropologia
  • Património natural
  • seis Reinado 1.6.Um Primeiro mandato absolutista
  • Parque Camacho

mas, estes obstáculos pra maternidade, não se dão em todos os esportes como atletismo, como por exemplo. “A Federação de Atletismo da guarda ou congela a bolsa de estudos para que, após a gravidez possam retomarla. Sempre deram facilidades e tiveram sensibilidade com as atletas grávidas. O atletismo é o esporte mais antigo que existe, e temos a avançar por esse caminho”, confirma uma das atletas relacionados no nosso estado Ruth Baitia. De volta ao efeito do desporto, na saúde, há patologias específicas da mulher que conseguem ter um traço pro seu serviço desportivo. Mas De Deus Beas assinala que podem ser esperadas.

um Outro aspecto a ter em conta é o regulamento. O diretor médico esclarece que os atletas de elite com o critério são capazes de suprimir o desempenho e podem predisponerles a problemas de défice de ferro. Daí a relevância de se fazer um acompanhamento nutricional adequado. Sobre esse último estilo, Eva Calvo, prata no taekwondo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, explica que o critério é algo a ter muito em conta. “Não é o mesmo competir quando você tem o critério que quando não a tem.

Sobre o Autor

administrator