‘Good Omens’: Por Que Soam Tantas Canções De Queen Na Série?

por

‘Good Omens’: Por Que Soam Tantas Canções De Queen Na Série?

No começo, Good Omens parecia um projeto irrealizável: falar que passou pelas mãos de Terry Gilliam, está tudo dito. Mas o Apocalipse é o que tem, e, no desfecho, o romance de Neil Gaiman e Terry Pratchett, se transformou numa série com o selo da Amazon Studios.

Assim, a história do anjo (Michael Sheen) e o demônio (David Tennant), encarregados de manter controlado a um Anticristo prepúber chegou a nossas telas. Agora bem: um dos mistérios mais interessantes do Good Omens continua sem resposta. E esse mistério é… por que a série passava o tempo todo canções de Queen. Pois bem: a gente tem a resposta.

, E não tem nada que visualizar com o sucesso de Bohemian Rhapsody tenha posto moda Queen no Além. Trata-Se, na realidade, de uma maldição. Uma maldição que Gaiman e Pratchett expressaram com muita sabemos no momento em que vão vir no teu livro, e que revela que este foi publicado em 1990, quando as fitas eram ainda um meio comum para reproduzir música. Como corresponde a essa data, o automóvel de Crowley (o demônio encarnado por Tennant) tem um radiocassette.

E, por desígnios das potências infernais, toda fita que passa mais de duas semanas dentro desse radiocassette torna-se um dos Grandes sucessos do Queen. O desprovido Crowley, como fã de música clássica, essa maldição tem quebrado perdido. E é uma pena que a série não tenha incorporado elementos essencialmente cruéis da mesma, como o evento de que as canções de Queen, ‘contagiem’ com o modo de compositores ilustres.

Nunca saberemos como soa o I Want to Break Free, de Beethoven ou Fat Bottomed Girls ao estilo de Vivaldi. E é uma pena. Ironicamente, este método azul a música do Queen causou rejeição em diversos críticos literários, que consideravam a banda como uma relíquia de mau adoro. Agora, mas, Bohemian Rhapsody foi alto novamente à Freddie e seus bebês picos de popularidade, e a série se beneficia com isto.

  • Senhorita Macarena Cañamas Gadea (Fallera Maior de Valência 1975), juntamente com a tua corte de honra
  • Taxco, Guerrero
  • 3,48 g Au
  • dois Anos 1980
  • dezesseis de janeiro de 1860: Hudson Taylor lança teu primeiro chamado para missionários em fernão mendes pinto
  • quatro Século XIX: para o Ensanche
  • De Romide, tirano dos latinos, que expulsou os etruscos da localidade;[12]

Algo que Neil Gaiman (que não é exatamente um fã) reconhece vitriólicamente: “Estou muito obrigado ao Queen por ter-se tornado a pôr de moda. A idéia de que continuariam sendo conhecidos 30 anos depois da publicação de Bons presságios nunca me passou pela cabeça”.

Os estóicos viam a beleza como uma presença inata ao mundo, tanto em seu todo como em suas partes constitutivas, em materiais e nos seres vivos. Afirmaram que “a natureza é o superior artista”, como esta de que “a natureza adora a lindeza”.

Acreditavam também que, a feiúra serve para realçar a graça a partir do contraste. Distinguiam-se entre a boniteza absoluta, o que vem a proporção (συμμετρία), e graça relativa, definida em termos como “apropriado” ou “adequado” (πρέπον, prépon, em latim decorum). Ademais, introduziram um novo conceito em psicologia da boniteza: como este até desse jeito se distinguia entre idéias e sentidos, os estóicos defendiam uma nova classe através da imaginação, a “fantasia” (φαντασία).

Ele: formulado por Epicuro, esta doutrina equipará-la o bem com o entusiasmo, desenvolvendo uma filosofia hedonista, em que o homem tem que buscar apenas a tua felicidade -se bem Epicuro falava mais de prazeres espirituais que aparato. Ceticismo: esta corrente tem-se concentrado na desconfiança na verdade, que consideravam inaprehensible pro homem. Assim, afirmavam a impossibilidade do conhecimento, abstendo-se de cada julgamento (ἐποχή, epokhé): se sobre a graça e a arte, há uma enorme diversidade de julgamentos, é impensável saber qual deles é o direito.

Sobre o Autor

administrator