Maquiagem Anos oitenta

por

Maquiagem Anos oitenta

A década de oitenta foi de vasto expansão econômica, os países mais sérias e significativos) consumismo ostensiva e desejo de obtenção de bens objetos. A mulher neste instante leva duas gerações brigando por igualdade e ganha um look mais masculino, alarga os ombros, utilizando ombreiras e adotando uma forma “triangular”, costas e ombros largos, acompanhado de pernas e cintura fina.

O culpo o corpo humano é muito interessante, em homens e mulheres. Se põe de moda aeróbica e aparece a licra. As top models e cantores de moda marean as tendências, existem diferentes estilos e tribos sociais. O cenário da música oferece muito dinheiro. Boom de operação estética, em razão de esta ao alcance de o mundo todo, assim como se tornar moda, os tattoos. A maquiagem é duro e destrutivo, mais masculino, as sobrancelhas grossas e largas, quase naturais. Os ângulos a maquiagem eram rasgados, em tão alto grau nos olhos como pela modelagem do pómulo, que era reto e rígido, marcando a mandíbula e subiéndose com o desvanecimento até aparecer à referência.

A suporte da maquiagem nos olhos, ele trabalhava com lápis khol, se difuminaba rasgando e aplicavam-se sombras de cores de contraste, essencialmente pra maquiagem à noite. Assim como sombreaban o lateral do septo do nariz, construindo um enxergar mais dura e com feitio. Você utiliza o lápis khol dentro e fora do olho, sombras muito fortes, cores puras e brilhantes, a todo o momento acompanhados do preto no contorno dos olhos, puxando e rasgando a enxergar. Levam-Se os batons escuros e matte, perfilaban o coração do lábio de pico e de forma pontiaguda. Desaparece o brilho na maquiagem, leva o mate.

Asimov sem sonreírme ao relembrar o quão idiota era aquele artigo (que repetiu com palavras diferentes, em várias ocasiões. Entretanto, eu continuo a achar um mestre da ficção científica. Ou seja uma anedota, porém é uma maneira de esclarecer uma coisa. A linguagem é uma convenção, todo ele.

  • Guarda-chuva e óculos de sol
  • “The Price”
  • No Paraguai: tuna
  • April Fools Rules

Falar “árvore” a tudo o que você e eu compreendemos como tal, é tão usual como dizer “tree” e tão habitual que colocar acessar a web através dele a “a” pra saber como se pronuncia. Evidentemente, há convenções melhor conhecidas e algumas pior conhecidas.

Sinceramente, não me fornece um ardite, sem encaminhar-se mais remoto, em que a fonte irá antes ou após o ponto e, efetivamente, eu a colocava antes do ponto. Como aconteceu com os títulos em inglês. Olha Tapestry, a título de exemplo, o que eu escrevi e ainda rico em maiúsculas.

Entretanto se a convenção que decidimos seguir as normas espanholas, pois que mudarei e não emplearé a norma inglesa, pois parece que os que sabem mais do que eu isso consideram preferível. Mal me parece, em razão de, que os outros querem parar com essa unificação de critérios, sem apresentar argumentos, nem sequer referências. Me parece, o digo, que esta é a sua aparência, a de não deixar avançar por uma rejeição sem significado das normas acadêmicas.

Sobre o Autor

administrator