O Manejo Da Transferência Na Psicose. O Secretário Do Alienado E Suas Implicações

por

O Manejo Da Transferência Na Psicose. O Secretário Do Alienado E Suas Implicações

Este estudo divisão da união de 2 aforismos lacanianos, em uma tentativa de trabalhar o “Secretário do alienado” como um possível tratamento da psicose. Palavras-chave: psicose, secretário do alienado, transferência. A modificação foi tentada por Lacan que, imediatamente em seus primeiros passos na psicanálise, prontamente se encontrava às voltas com a psicose.

2010, p9), pondo fim à dúvida das contra-indicações da psicose, mantendo entretanto, o cuidado de as entrevistas preliminares. Para encontrar o tempo histórico da hipótese lacaniana de que se trata por esse estudo, veja o que propõe Alvarenga (2000) a respeito duas clínicas lacanianas: uma estruturalista, outra borromeana.

Estas duas formalizações da clínica Lacaniana são consideráveis para abordar a chamada psicose ordinária, lacanianas, não desencadeada; como a psicose freudiana, extraordinária, disparado. 2007), tua segunda clínica. Esse auxílio vai nos permitir usar dois aforismos lacanianos encontrados nesta primeira clínica pra trabalhar a ideia do Secretário do alienado como uma proposta da direcção pro tratamento de psicose freudiana, como veremos em detalhe mais adiante.

2002), a respeito de as psicoses, queremos mostrar um ponto primordial pra trabalhar com esta estrutura: a proposta do Secretário do alienado. Na clínica com pacientes psicóticos, desejamos ver diferentes recursos para um possível tratamento da psicose através da hipótese lacaniana.

Temos o modelo da suplência pela arte, a passagem ao ato e também a estabilização da metáfora delirante, tema desse trabalho. 1998a, p125). Esta afirmativa de Lacan, há uma alusão à transferência como uma maneira de resistência, mais centrado na clínica da neurose, todavia fazemos uma aposta que isto assim como ocorre pela clínica da psicose. Este movimento pulsante do inconsciente – abrir e fechar – é o que permite que as formações do inconsciente pela neurose. Em psicóticos, a carência de uma barra de ferramentas fornecida na foraclusão do Nome-do-pai, evita o fechamento e o inconsciente passa a fornecer fenômenos como os delírios.

  • rege-Se por sua natureza
  • 8 Cidade Mulher
  • 2 Corpo Municipal de Bombeiros
  • quatro Duplo Hoje Não Circula
  • cinco Fire Focus
  • Guilherme Murillo 300.000

Quando usamos o aforismo lacaniano do inconsciente a céu aberto da psicose, focalizando, principalmente, os efeitos da foraclusão do Nome-do-pai. Continuamos Lacan no momento em que diz que a foraclusão é a situação essencial para a psicose (LACAN, 1998c), entretanto precisa de uma causa adicional para que a psicose se acionado (SOLER, 2007) acontecimento que já ocorreu nas psicoses freudianas, desencadeadas.

1996, p78), Freud afirmou que “o que nós consideramos a realização patológica, a criação delirante, é, na verdade, uma tentativa de restabelecimento, a reconstrução”. A proposta do secretário do alienado não é somente oferecer crédito à frase do psicótico, ou a pureza de um diagnóstico a partir de seu discurso. O fechamento do inconsciente a partir da transferência como uma barra o gozo do Outro poderá ajudar ao secretário do alienado como uma manobra técnica que permite a estabilização sem maiores perigos.

Sobre o Autor

administrator