Porsche 911 GT3: O último Exemplar De Sua Espécie

por

Porsche 911 GT3: O último Exemplar De Sua Espécie

O último raio de sol da tarde se reflete diretamente nos meus olhos. Não vejo bem, no entanto imagino que é pergunta de minutos. Subi muitos portos de montanha conduzindo, em alguns casos, quase com os olhos fechados, pois que reconheço cada metro e posso interpretar mentalmente. É uma interessante forma de contrapor o comportamento de um carro com outro, como em um circuito, contudo de uma maneira mais real, a despeito de menos emocionante (a não ser que sejas qualificado de fazer com que se fechem um trecho). Recentemente voltei a redizer um dos meus passeios favoritos com um dos modelos que considero entre os meus ‘top 10’: o 911 GT3. Mas, o que é que há, realmente, que este nove onze excepcional, independentemente da tua estética?

Para começar, pela era turbo, o ar atmosférico, é a exceção que confirma a alteração de tendência. É um modelo em que a linha que separa a corrida de rua é tão fina que custaria definir a que universo pertence realmente. Sua receita, na aparência, é claro, todavia esconde um serviço muito fino. Se pega a base mecânica boxer de seis cilindros de 3,8 litros -o mesmo que o do Carrera S – e se estica a potência até os 475 CV (sem ajudas de admissão).

Também são novos os suportes do motor, e os desenvolvimentos da caixa de velocidades de dupla embraiagem PDK de 7 velocidades são de batalha, isto sim, com uma sétima mais longa pra que possa circular com canal pela via. Mudam um tanto, isso sim, as medidas para se moldar a uma condução mais radical. Trinta e um mm, atrás) e é pouco mais miúdo (-11 mm).

  • “Good Brothers”
  • dois Campeão da Commonwealth e o Inter-Continental
  • treze Charles Wright Mills
  • Lucy pergunta a Linus de que servem os insetos

E, em geral, o conjunto é muito leve graças ao acréscimo na percentagem de utilização de aparato como o alumínio. Abrir a porta e visualizar o seu interior é um ato que, em si mesmo, há que se ponham os cabelos de ponta. O posto de condução não é de disputa, todavia também não é de via.

Encontra-se a meio caminho entre ambos ou, como dizem na Porsche, é esportivo, porém não espartano. Não há bancos traseiros, os dianteiros são do tipo bacquet e predomina a Alcântara como tecido principal em guarnecidos de portas, as almofadas dos bancos e no volante. Começo a ligar-se curvas com a posição D do câmbio automático, acelerando progressivamente.

Apenas há oscilações e procuro a linha reta, reduzindo os vértices. Tudo me domina a pouco. Quando passo em jeito seqüencial, em insuficiente tempo, me dou conta de que eu adoraria de jogar mais com a modificação, as câmaras e a alavanca, entretanto o motor poderá esticar tanto que mal tenho margem.

Sobre o Autor

administrator