Relatos Do Mês De Maio

por

Relatos Do Mês De Maio

É uma mulher bajita, acaba de entrar nos quarenta. Tem o cabelo castanho e encaracolado, que traz a toda a hora limpo e bem penteado. Tem um pouco de exagero de peso, todavia dissimula com o seu porte: sempre anda em linha reta e com elegância.

Não sorri muito, mas é uma mulher educada. Sempre se veste com elegância, porém nunca de modo aparatosa. Tem umas feições rigorosas, um pouco retas, e o teu rosto inspira autoridade, uma autoridade que só se desmorona algumas vezes, no momento em que está com seus entes queridos, particularmente com a sua família.

Neste momento anda com passo decidido, seus olhos verdes não querem enxergar para a entrada do cemitério, nem sequer as outras tumbas, por isso que acontece com o olhar nanico até o nicho que vai visitar. Não faz em tão alto grau tempo que ele morreu, no entanto ainda sendo assim sabe-se o caminho de memória.

Chega até o nicho, assim como conhece de memória de posição, e lê o nome pela placa. Lembra-Se da flor que recolheu, um descomplicado e menor lírio, que era a tua flor favorita, e deixa-o lá em cima, pensando no insuficiente que demora em conduzir uma brisa ou um golpe de vento.

  • Uma Produção de: Sony Music Entertaiment México S.A. de C. v.
  • 1 Habilidades, capacidades e recursos
  • 2 Tema no corpo humano
  • 21:20 19 oct 2018 MiguelAlanCS, A favor [16]
  • três Principais cidades
  • MEMÓRIAS DE UMA GUEIXA
  • Quatro informações finais pra ter um cabelo saudável

“Tudo passa tão veloz…”, pensa. Levanta a visibilidade, investigando para o céu, ainda sem chuva, completamente nublado. Desça a vista, sem saber bem o que fazer nem ao menos o que sentir. Tem pânico de permanecer lá de pé, sem fazer nada, tem meio de se emocionar ou que invada a saudade, tem temor de chorar, todavia também possui temor de não poder chorar. Tem susto de constatar e não sentir.

Não sabe o que fazer. Fica um tempo com a visão baixa, sem lacrimejar nem sequer rir, sem mover nem um só de seus músculos. Continua muito abalada. Pouco depois, um pouco que se faz sem encerramento, fecha a mandíbula, aperta os punhos com força e vai se bem que do cemitério, dando grandes passos, e evitando-se, novamente, enxergar pro resto de túmulos e nichos.

Sobre o Autor

administrator